UC Semesp oferece curso para estímulo à inovação

A primeira edição do curso Capacitação para Agentes de Inovação, desenvolvido pela Universidade Corporativa Semesp em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – Fapesp, apresentou nesta quarta-feira, 11/04, aos gestores das Instituições de Ensino Superior – IES, todos os trâmites e informações essenciais para o encaminhamento de projetos à Fapesp.

O curso, exclusivo para IES associadas ao Semesp, foi aplicado pelos coordenadores adjuntos de Pesquisa para Inovação da Fapesp, Américo Craveiro, Douglas Zampieri e Lúcio Angnes.

Na oportunidade, os representantes da Fapesp apresentaram o Programa Inovação em Pequenas Empresas (Pipe), plataforma pioneira da Fundação para apoio a empresas de base tecnológica do Brasil. “Criado com o objetivo de estimular a inovação tecnológica e contribuir para a valorização da pesquisa no mercado, o Pipe tem apoiado empreendedores que desejam transformar conhecimento em novos produtos ou serviços. Com frequência, fomenta a inovação em um momento crucial para o negócio: o seu nascimento”, explica o coordenador Douglas Zampieri.

No cenário das IES, o Pipe também pode contribuir para fomentar a pesquisa no âmbito do empreendedorismo, segundo Américo Craveiro. “E, ao fazer isso, possibilita as instituições de ensino a oportunidade de incentivar seus alunos, que estiverem desenvolvendo o projeto de conclusão de curso, a tornarem-se pesquisadores e potenciais empreendedores de startups, que contribuirão para o desenvolvimento econômico do estado e do país”, destacou.

Segundo os coordenadores, a Fapesp abre chamada pública para o Pipe a cada três meses, com o intuito de buscar propostas voltadas à pesquisa para o desenvolvimento de soluções inovadoras.

Ao longo do dia, os gestores das IES ligados à inovação acadêmica apresentaram propostas, por meio de uma dinâmica realizada entre grupos, que servirão de base para o incentivo de novos alunos empreendedores. “Foi satisfatório para Fapesp receber propostas de relevância para a aplicabilidade da inovação em diferentes áreas, como ensino, saúde, transporte, entre outras significativas e que demonstram que as respectivas IES estão no caminho certo para fomentar o desenvolvimento de novos projetos de relevância pública”, complementa Lúcio Angnes.

Outras Notícias